Amor: um mandamento para nunca ser esquecido

Com os ensinamentos de Cristo e Paulo como fundo, podemos compreender melhor e apreciar os mandamentos de Pedro sobre o amor e unidade. Lembre-se: ele estava escrevendo para pessoas magoadas. Elas foram dispersas, muitas delas para longe de casa (I Pedro 1.1). Eles estavam atormentados, vivendo em situações extremas (1.6). Eles estavam sendo provados (1.6-7). Alguns deles fugiam para salvar suas vidas. Com o louco Nero no trono de Roma, aquele era um momento perigoso para ser um cristão. Alguns, sem dúvida, foram tentados a conformar-se, a comprometer-se ou a desistir completamente.
Quando eu era criança e uma discussão surgia em nossa casa, meu pai costumava dizer: “Podemos ter algumas diferenças dentro destas paredes, mas lembrem-se: somos uma família. Se o seu irmão ou irmã precisar de você, cuide deles. Você os ama. Fique do lado deles”. Este é um bom conselho também para a igreja!
Quando as pessoas sofrem – e todos nós passamos por isto – é comum perder um pouco da auto-estima. Mas é disto que estas pessoas precisam: unir-se e apoiar-se umas nas outras. Elas necessitam de uma comunidade onde possam encontrar aceitação e unidade. Elas necessitam comportar-se como membros da família de Deus.
Seguindo suas fortes palavras, encorajando os crentes a viverem sua vida de maneira santa, Pedro explica exatamente como eles têm sido livres para se apoiarem uns nos outros. Na verdade, ele diz: “Você possui todas as coisas de que precisei para tornar isto possível; você não precisa viver isoladamente”. 
Leia este conselho cuidadosamente:

“Agora que vocês purificaram as suas vidas pela obediência à verdade, visando ao amor fraternal e sincero, amem sinceramente uns aos outros e de todo o coração. Pois vocês foram regenerados, não de uma semente perecível, mas imperecível, por meio da palavra de Deus, viva e permanente”. I Pedro 1.22-23.

Renove sua esperança – Dr. Charles Swindoll